A história do #timeUganda!

Quando paramos para pensar que daqui a seis dias estaremos embarcando para Uganda, um frio na barriga e muita emoção tomam conta de nós. Estamos há meses focados no projeto e esperando muito pelo dia em que, finalmente juntos em Uganda, iremos colocá-lo em prática! Mas, afinal, o que nos define e como nos unimos para esse sonho?

O nosso time com certeza se define pela frase “o todo é maior que a soma das partes”, e por diversos momentos fomos invadidos por essa sensação boa de que juntos podemos muito mais e fazemos as coisas acontecerem. Cada um que entrou para o projeto tem algo de diferente para agregar, mas quando juntamos as ideias, nos surpreendemos com o resultado. O projeto com certeza nos une pelo lado pessoal e profissional, poder aliar esses dois grandes quesitos em uma coisa só faz nossa sintonia e motivação aumentarem ainda mais. Confira abaixo nossa história!

Desde 2014, Augustine e Sophie, fundadores da ONG TORUWU, estão empenhados no projeto da escola e buscam desde então parcerias para reformulá-la. Mas o trabalho deles vem de muito antes. Depois de trabalhar por anos com um indiano muito generoso, Augustine decidiu abrir mão de tudo e investir todo o seu recurso em ações que ajudassem sua comunidade a se desenvolver; Sophie, enfermeira de formação, se inspirou no trabalho de sua mãe, que atendia mulheres e crianças doentes e não cobrava pelo serviço prestado. Ela ficava extremamente comovida pelo fato de que essas mulheres e crianças, por falta de recursos para comprar medicamentos, não continuavam o tratamento e decidiu que quando crescesse iria trabalhar para mudar essa situação. E não é que ambos, Augustine e Sophie, estão de fato realizando o que tanto queriam? É muita inspiração!

Empolgada com esse belo histórico, e já tendo em sua formação o respeito por outras culturas e a atenção aos problemas sociais, Elisa, filha de livreiros, se uniu a TORUWU. No entanto, ela, Augustine e Sophie mal sabiam que a história ainda tocaria o coração de muitos outros e que mais duas pessoas incríveis do Brasil embarcariam nessa jornada!

Augustine, Elisa, Sophie. Ano: 2014

Os caminhos que cada um escolhe traçar guardam surpresas que não conseguimos imaginar. No momento em que estamos realizando algo, não nos damos conta de seu poder e do tanto que pode nos proporcionar. Durante a faculdade, Elisa e Marcelo participaram do CHOICE, a maior rede de universitários engajados em negócios de impacto social do Brasil. Ele participou em 2013, no Rio de Janeiro, e ela em 2014, em São Paulo; eles não se conheciam. Em agosto de 2016, Elisa fez uma publicação no grupo do Facebook em que estão todos os jovens que já passaram pelo CHOICE – mais de 800 – divulgando o projeto e convidando mais um profissional para fazer parte e ir para Uganda.

Marcelo entrou em contato, começaram a conversar e a história da escola também o contagiou! Ele sempre questionou a realidade e o papel das instituições escolares e por isso se envolveu em diversas atividades para impulsionar o jovem a desenvolver seus talentos e descobrir o seu papel no mundo. Após o contato com diversas realidades sociais, através de grupos de trabalho voluntário com jovens e crianças em abrigos, hospitais, dentre outros, abraçou a causa da educação e acredita que ela seja o meio para inclusão e desenvolvimento social. Na primeira semana de conversas parecia que ele já estava no projeto há meses! Ficou muito clara sua dedicação e a preocupação que tinha com os outros. Entrou de cabeça, e em setembro, mesmo que somente por conversas via Skype, já deu a palavra final de que iria para Uganda. Graças ao CHOICE e à internet – e, claro, à história de TORUWU -, o #timeUganda ganhava mais uma pessoa!

Já Elisa e Suzy sempre foram amigas na faculdade e se formaram juntas. A vida também estava traçando os seus caminhos aos poucos, sem elas saberem. Em julho de 2015, Elisa passava um final de semana em La Paz – pois estava realizando em outra cidade da Bolívia um intercâmbio de trabalho voluntário através da AIESEC, mesma organização que a levou para Uganda pela primeira vez – e, no último dia, sentou em um café para descansar e aproveitar o Wi-fi, claro. Sabia que Suzy estava no Peru e que talvez fosse passar pela Bolívia, então mandou uma mensagem. Como um presente do destino, Suzy estava em La Paz, a dois quarteirões do café onde Elisa estava! E somente naquele dia, pois na madrugada já iria pegar um voo de volta ao Brasil.

Assim, as duas se encontraram, conversaram sobre os rumos da vida, seus incômodos com as injustiças sociais e suas motivações pessoais. Suzy falou sobre seu desejo de conhecer o mundo, vivenciar culturas e modos de vida negligenciados e pouco valorizados, já que são essas experiências que nos ensinam a sermos mais humanos. E, assim, as duas prometeram que dali a três anos iriam tentar se encontrar em outro lugar. Na época, como Elisa já queria morar em algum país da África, devido a sua experiência com TORUWU, combinaram que seria lá, mas não imaginaram que iriam então morar e trabalhar juntas! E nem precisariam esperar três anos.

Para Suzy, uma de suas grandes motivações para trabalhar com educação vem do privilégio de ter tido acesso a escolas boas e uma família que sempre a apoiou em tudo que precisava. Quando ela começou a ter contato com realidades tão diferentes da sua, sabia que podia transformar o sentimento de impotência frente tantas injustiças e fazer algo em relação a isso. Dessa forma, no final de outubro de 2016 foi a vez da Suzy dar a palavra final de que iria para Uganda, e o #timeUganda cresceu de novo!

Suzy e Elisa em La Paz

No final de novembro, os três marcaram um encontro em São Paulo para se conhecerem, já que o Marcelo era novo no grupo. Se já sentiam a sintonia por Skype, pessoalmente foi mais incrível ainda! “Nos demos muito bem e passamos a nos conectar mais ainda. O propósito do projeto tomou conta de nós e fomos invadidos por uma energia de que estávamos no caminho certo e tínhamos feito a escolha que condizia com quem somos. No momento de nos despedir, ficamos tristes de pensar que só nos encontraríamos de novo no embarque e que ainda teria muito tempo até essa data chegar.” E não é que chegou!

Marcelo, Suzy e Elisa

Augustine e Sophie ficaram muito felizes em saber que mais pessoas queriam se juntar ao projeto e acolheram Marcelo e Suzy desde o começo! O grupo conta ainda com John, filho da Sophie, que se formou em pedagogia em Kampala, capital de Uganda, e dá aula de matemática em uma escola de ensino primário. Infelizmente, ainda não foi possível do Brasil conversar melhor com o John, mas é exatamente por isso que os três daqui estão indo para lá! Traremos maiores detalhes da história de John 🙂

Assim que chegarmos em Uganda, o time vai se reunir para que todos se conheçam e definir as diretrizes iniciais para colocar o projeto em prática!

Estamos prontos e com muita energia!Esperamos que vocês também se contagiem e vivam essa aventura conosco!