Agali Awamu e nosso trabalho de campo

Faz um tempinho que não postamos aqui, mas é porque estamos envolvidos
totalmente no trabalho de campo! Muita coisa aconteceu e está acontecendo, o projeto tem se desenvolvido a cada dia e a aprendizagem continua.

No processo de acompanhar a escola, vimos a necessidade de fazer um trabalho bem de perto com os professores, afinal suas ações refletem diretamente dentro da sala de aula e no relacionamento com os alunos. Os professores cresceram em uma realidade difícil, tiveram que trabalhar desde pequenos, sofreram violências físicas e psicológicas, e acabam reproduzindo esses comportamentos na escola. Como forma de acolhê-los, e não os julgar, fazemos encontros semanais em que o objetivo é fortalecer a união dos professores, incentivar a cooperação, valorizar cada um em sua singularidade e solucionar desafios em conjunto democraticamente. Os encontros são essenciais para abrir espaços de escuta, questionamentos e falas. Os temas tratados são diversos, desde aspectos mais pessoais como gerais da escola, e os professores nomearam o grupo de agali awamu, que significa “juntos conseguimos” em Luganda, lingua local, mostrando que um trabalho feito com a colaboração de todos pode resultar na realização de nossos sonhos.

Grupo “Agali Awamu”

Também trabalhamos em sala de aula para aproximar aluno e professor, incentivando a realização de atividades de criatividade, leitura e pensamento crítico. A escola não possuía livros infantis e tampouco achava ser algo importante, agora criamos juntos uma biblioteca e os alunos são responsáveis por mantê-la, um grande passo na valorização e na voz da criança. Com a introdução de aulas de música nas salas dos pequenos, ouvimos pela comunidade as crianças cantando “dó, re, mi, fá, sol…” e ensinando para os outros.

Crianças lendo gibi
Professora contando uma história para os alunos
Aluno desenhou seus próprios personagens após leitura de gibi
Elisa dentro da sala de aula com os alunos